umapausa

umapausa

quinta-feira, setembro 11, 2008

SUJEITO INDETERMINADO

Era uma vez o fim. O fim do vício, finalmente largaram o cigarro. Mas quem largou o cigarro?
O sujeito era indeterminado. Não tinham estrutura, não sabiam sobre si. Crises e crises de identidade da era contemporânea, estavam na modam afinal a era é assim. Mas largaram o cigarro e mesmo sabendo poderia ser um sujeito simples, decidiram ser um sujeito indeterminado.
E hoje não posso dizer que pessoa é. Nem se é uma pessoa singular.
A verdade é que o cigarro foi largado por ausência de pessoa. E justamente por ser assim: sujeito indeterminado. Se não há pessoa, não há ação para o cigarro. Não há fumante. Não há fim do vício! Não há nada!
Apenas entenda que largaram o cigarro. E quem largou é um sujeito indeterminado.

[Dedicado, somente, aos amantes da Língua Portuguesa]