umapausa

umapausa

quarta-feira, julho 29, 2009

esse papo já tá qualquer coisa

Não, meu amor. Não estou falando do mundo, eu estou falando e olhe para mim. Eu não preciso ser brilhante para existir, não preciso ser famosa para opinar ou talvez ter sucesso para ser qualquer coisa que seja, mas ser. Eu sou, antes de descobrirem. Tenho certeza de que não descobrirão, tenho certeza e quero essa certeza de ser mais uma camuflada pela massa, ser uma massa, um povo, uma voz entre tantas vozes. Mas que grita.
Por gritar, eu sou. Mesmo que jamais escutem ou quem sabe escutem e não deem atenção a mim, eu grito e é isso que faz de mim um ser gritante, um ser que faz a minha vida e meu destino, um ser ativo que vive e cava nas profundas entranhas da minha alma um vestígio de alegria. Vestígio tão importante e poderoso que é responsável por uma felicidade profunda, jorradora da vida e do amor a mesma vida.
Eu grito e isso não me torna exuberante. Sou mais uma aí, perdida na massa, da cor cinza a da voz tão igual as outras vozes. Eu também choro rio de lágrimas e rio até chorar de alegria.
Mas eu grito! Não como uma desgorvenada que sempre fala o que pensa, que não mede consequências, que não escolhe para quem dizer, muito do que falo é verdadeiro e se não é tudo, é porque tenho bom senso. Não quero guerrear contra os perdidos e muito menos com os onipotentes. Se não fossem as palavras que escrevo, tudo que penso explodiria numa loucura única e imbátivel. Eu preciso gritar, escrever, nem que seja porcarias. São minhas. É minha vida isso aqui. Uma pausa para o grito é antes de tudo uma prevenção de um futuro enfarto. Ou de uma explosão emotiva psicopática. Ou quem sabe, uma veste de um ser que não grita, que não faz sua vida e seu destino, que é entregue. Um agente passivo.

quinta-feira, julho 16, 2009



"Eu sei que vou te amar, por toda a minha vida eu vou te amar
A cada despedida eu vou te amar, desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será pra te dizer que eu sei que vou te amar, por toda a minha vida

Eu sei que vou chorar a cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar o que essa tua ausência me causou
Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
À espera de viver ao lado teu, por toda a minha vida"

[Caetano Veloso - Eu sei que vou te amar]

segunda-feira, julho 06, 2009

Cajelu


"(...) mas aí, você conheceu uma Camila e uma Jéssica da vida, pra ser assim, exatamente como tem que ser."

sexta-feira, julho 03, 2009

Equilíbrio Instável

Por um triz, aqui escondida. Esperando você chegar com suas desculpas, inventar mentiras para não dizer as verdades que me machucam e que não quero ouvir. Quero que minta para mim. Que me mime, me distraia, me faça sentir que sim, que você, mentindo, acredita em mim.
Seu maior erro é não assumir que eu sou mais forte. E meu pior defeito, é buscar na força um equilíbrio. Minha força me trai, quando penso que estou em seu ápice, na verdade estou no precipício, prestes a cair nas fraquezas humanas. Nos choros intermináveis, nos pensamentos que destroem tudo aquilo que construí.
Eu confesso, minha base é fraca. Pouco a pouco se rompe até ficar por um triz. Eu me faço de forte, para não exalar fraqueza, não suporto ver fraquezas alheias por minha culpa, sendo em mim inspiradas.
Estou aqui, esperando você chegar. Fingindo que não estou ansiosa. Não vou contar o tempo. Não vou treinar o que falar para você. Já não tenho medo de perder o que já perdi. Se me vier com perguntas, terá minha essência, serei eu, sem ter medo de dizer o que sinto. E se precisar, eu faço escândalo. Eu grito, eu xingo. Mas você precisa escutar tudo que eu tenho a dizer.
Se eu não convencer você, por favor, minta. Diga que sou seu orgulho. Diga que vai estar ao meu lado. Que trocará minha base fraca, por você. Seja minha base de novo, me tire desse equilíbrio instável, que é, parte, por sua culpa.
Seja meu apoio, seja meu heroí. Viva junto comigo, todo esse inferno. Porque é daqui que vou, e levarei você comigo, para o céu. Estou chegando.