umapausa

umapausa

terça-feira, maio 04, 2010

As críticas

Os caminhos mais fáceis conduzem
às histórias mais monótonas.
E pra quem tem a ousadia de ser: a vida.
Como brinde: a liberdade.

Pensar, querer. Tudo está preso
ao complexo mundo das ideias,
inaudível aos que são exatos demais.
E a estes restam as coisas menores.

As realizações forçadas,
objetivos prontos e sonhos
tão necessariamente minúsculos.
Mas restam. Quanto aos ousados,

os sobrepostos à mesquinhez mundana
e regras tão moralistas,
sobram as críticas dos habitantes
do mesmo mundo. Críticas

vestidas de maldade, de bondade,
de tudo, críticas. Afiadas,
cortantes, más. São críticas.
Falarão dos seus atos. E dirão:

sonha demais. Mas não esqueça
que os caminhos fáceis conduzem
às histórias mais monótonas.
Morrerá de qualquer jeito. Então

que morra fazendo. E não esperando.
Eu tenho a vida, a liberdade.
E tenho mais ainda
todas as críticas. Todas possíveis.

2 comentários:

Ivan Bueno disse...

Luna,
De certa forma fez me lembrar de "Poema em Linha Reta", de Fernando Pessoa, em parte, em certo sentido.
Mas o que mais me chamou a atenção foi que, apesar de não escrito (em forma, disposição) como poema, o é. Eu vejo este texto como poema, bastando separar as linhas nos pontos "certos".
Muito bom.
Beijo grande,

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

LunaJeannie disse...

e graças ao seu comentário e email, a poesia pôs a seu verdadeiro lugar: poema.

Obrigada, Ivan! ;*