umapausa

umapausa

sábado, setembro 25, 2010

êi-la!

Sem muitas reclamações diárias, perpetuo-me um doce. Não que seja fingido, é leve, da alma, de mim. Cansei de me desabrochar em tédio. Mais que isso: simplesmente cansei.
É que "reclamar" é um ofício violento ao bem estar. É um vício incontrolável, maldito. Primeiro você reclama de coisas consistentes até a chegar ao ponto de reclamar por si só, por querer para si tal atitude demasiada sedutora, reclamar e só. Nesse estágio, as mais reclamações que diálogos, são frasais e repetitivas: que bosta de calor, que raiva, que saco de estresse, que chuva, que merda de vento.
É letárgico. Eu sei.
Eu quero risos a granel, prazeres, endorfinas à alma. Leveza ao coração, que já bate desassossegado, constragido pelo mundo. Quero bipartir minha boa parte, quero sim, ser um doce. Não exclusivamente e somente para eles e elas, mas para mim. Para o bem estar mental que preciso produzir enquanto me acabo nos estudos.
Expremi, até sair, todo o negrume. Toda toxidade que garante minha chatice. Minha auto chatice. Minha auto insuportabilidade.  Mas garanto, estou encardida, afinal tenho quase 22 anos um quê de intensidade na vida.
E que seja. Eu sou um doce.

Um comentário:

Fábio Coelho disse...

você é um docim muito doido!