umapausa

umapausa

terça-feira, setembro 14, 2010

Oração dos Oxidados

Pago pelo Oxigênio que recebo
Com o Carbono que devolvo
Numa atitude involuntariamente educada.
Participando do Ciclo do Carbono,
Não sou essencial e nem única
Compartilho tal privilégio
Com todo o resto das espécies vivas da Terra

Obrigada, Raios Solares e Vapores D'água
Que são precursores da formação da
Santa Molécula de Oxigênio
Que me envidece e insiste em envelhecer
Oxidando minha epiderme, meus cabelos, minha alma

Por vingança - e contradição- dou o Carbono em excesso
Para esse tal de Ciclo harmonizado
Embebedo-o de CO2 com minha tecnomania
Carros, indústrias, senhores dos poluentes, meus capangas da vingança
Desequilibro o mesmo Ciclo, cavo minha, mais nova, própria cova
E o efeito se estufa

Seja abençoada, Oh, Mãe Natureza! Com minha reciprocidade
Na saúde que me gera
Na doença que me cobre
Que os Dióxidos e Monóxidos de Carbono
Produzidos tanto pela minha necessidade, quanto vaidade
Agradeçam e vinguem,
A vida e velhice que o São Oxigênio me causa

Amém

Um comentário:

Fábio Coelho disse...

ta fazeno poema ela agora gente! que lindo, que brincadera massa com a quimica. "agradeçam e vinguem a vida e velhice que o Sao Oxigenio me causa"
vc é uma artista mesmo
gostei demais dessa parte
e é verdade mes
ehuiaehaieae
beijo =*