umapausa

umapausa

segunda-feira, dezembro 06, 2010

É dezembro

É dezembro, luzes irritantemente radiantes brilham na minha avenida. E eu nada posso contemplar, estou presa no tempo e sou da cor cinza, tanto faz.
Pago pelo preço impagável, busquei exatamente aquilo que não me era bem-vindo. "Tome cuidado com seus sonhos" me diziam, mas eu achava prazeroso por demais e não iria, nem sob tortura, parar de sonhar.
Hoje resta de mim pedaços, talvez. Sou sangue vivo e cinza pálido. Ferida e ainda naquele estado escrupuloso de latência. Reservando minha vida para mais tarde e é exatamente esse mais tarde que nunca chega. Por mérito.
Eu mereço cada lágrima derramada. Eu mereço cada grito enfraquecido. Eu mereço cada passo negativo, que é fracasso, mas é parte de uma suposta vitória.
Cada não que decorei. Cada obra maldita que contemplei. Cada dor no ego. Cada fratura da alma, exposta.
Ai de mim, que não tomou juízo. Que quer a regalia sem ao menos ter mérito.
Outra vez me ponho frente aqui, neste sepulcro mórbido de mais uma esperança. Estou flagelada, estou feia.
Ao menos, finalmente, descobri meus erros e mais que isso: assumi a culpa.
Eu sou apaixonada por cada milímetro de dor, masoquista ou não, eu gosto. Desafiei a vida, ela não foi obra do destino, não deixei ninguém traçar meu futuro. Eu quis tudo, tudo, tudo isso. Embora não soubesse dos detalhes, eu sabia que nada seria fácil, ainda mais para uma desmedida e por demais intensa como eu.
Preciso me expremer mais um pouco. E farei até acabar tudo de mim.
Eu sou apaixonada por cada milímetro da minha vida. Essa merda, ao menos, fui eu, a dona, quem fiz.
Daqui a pouco sigo em frente, não outra vez, mas de uma vez, talvez.

6 comentários:

...Evellyn... disse...

A vida desse jeito mesmo, crua... é a qual vivemos... e sim, precisamos aproveitar cada milímitro dela... esse mergulho profundo nos faz quebrar barreiras...

Luca Gontijo disse...

Seus textos são ADMIRÁVEIS !

Felicity disse...

Ameiii!

Maurício Campos disse...

gostei da definição do blog, Luneta, bem o que tinha me falado naquela conversa; apesar de não concordar, vejo que você leva à ferro essa terapia.
Beijo!

Luna Jeannie disse...

é, bundinha. Meu diário à céu aberto, viva a modernidade!

Fábio Coelho disse...

luna, a pecadora! ehiuaheuaieh
mas tem que ser assim mesmo
a gente tem que ser escroto, tem que errar e ver como é. eu gosto é de curva, é de sofrimento, é isso ai!
e essa ultima frase ficou muito boa, "nao outra vez, mas de uma vez" ehaiuheaiuhe
beijo do bin!