umapausa

umapausa

quarta-feira, outubro 12, 2011


apenas abstraio as nuances e seduzo pela firmeza, não porque sei. Do que sei, me resta apenas cinzas de um pó que eu, ainda, não inalei. Não tenho mais saco para este teto nem este cheiro. Não quero saber dos seus vômitos, vá cassar um terapeuta. Se sou ouvidos pra dor, quero ser ouvidos pra tudo. Eis minha condição. Ou se dá inteiro pra mim, ou rasgo você até despedaçá-lo do meu coração. Não me ligue para absurdos, me ligue para tudo. Não me venha contar novidade, por favor, venha também reclamar do tédio. Se dê por inteiro, ou saia dessa vida, que é dragão, não mais poesia. Eu cuspo fogo e sou feia.
que é que cansei de bonitez de uma coisa que não me é. Não me tem. Não sou a sábia. Sou a nada. Me ame, sendo nada. Nade em mim, não quero seus só seus pés, debatendo feito trouxa. Não gosto de pedaços incompletos. Me irrito com a falta de entrega. Cansei deste teto, deste cheiro. 
e quando eu sair daqui, eu vou chorar: quero meu teto de volta. quero aquele cheiro!