umapausa

umapausa

quinta-feira, março 29, 2012

quem sabe, em um ninho-seu, poderia então saber mais de si. Em tempos perdida nas lacunas escassas de seu dia a dia, tanto pra fazer e nada a refletir. Nem em si.
mais eis que chega um dia, trancada em seu quarto escuro, com sua cama sempre e sempre bagunçada. Coisas por cima, seus pertences misturados numa absoluta e proposital bagunça. Passa o dia vendo seriado, mal come, mal bebe água e algumas vezes que vai ao banheiro percebe sua urina escura, seu corpo pedindo mais água. Perde tempo na pressa de seus afazeres, mas mergulha na cama bagunçada, afasta os pertences num monte e deita abraçando seu de sempre  urso.
Os carros conversando lá fora, o celular avisando que alguém ligou e algumas vezes o telefone grita para ser atendido. Mas o abraço permanece ileso.
Nada é mais especial - ou perdido- que o ninho-seu. Onde se perde do mundo entrando em si.