umapausa

umapausa

domingo, novembro 24, 2013

resta um

fazendo aquele arroz carreteiro pra conquistar meu próprio coração. em tempos de desamor é bom se sentir amada por si mesma. ainda que feia, descabelada e de pijama às quatro horas das tarde, tentado fazer um trabalho infinito da faculdade. resta eu e meu drama sem fim.
o que obviamente não é verdade. não há tanto desamor e nem é tão drama assim. apenas uma luta perdida na guerra de não se sentir sozinha.
ok. eu tentei. fui lá, dancei conforme a música. e de repente, virei um poço de maldade. não deu certo. nem a luta. e nem eu, poço de maldade. sou uma coisa feita de amor. não nasci para brigar e nem para ser a parte. sou muito mimada. tenho motivos. minha vida foi pautada em relação estritamente verdadeiras e duradouras. pessoas maravilhosas que apesar de estarem tão mais comigo, estiveram. o tempo, amor. o tempo é capaz de roer nossas bases e afastar-nos das pessoas mais importantes.
no meu caso foi tempo, vontade e faculdade. esta filha da puta. o curso que tanto ralei pra fazer, que me deixou em pedaços e me fez amar a poesia. é o que penso ouvindo nina simone e sentido o cheiro do meu arroz carreteiro.
sei que na vida lindas pessoas estão comigo. grandes amigos me mimam à distância, deixando esse doce sabor de saudade. mas a realidade bruta precede um espanto: eu, só, aqui.
aprendi o egoísmo. e o deixo nesse instante. prefiro meu eterno sofrer de amar mesmo as pessoas. ainda quero apego. e sou dessas pessoas que preza muito grandes amizades.
o arroz está quase pronto pra mim. só eu vou comer.
resta eu. aqui.

Nenhum comentário: