umapausa

umapausa

quarta-feira, março 12, 2014

prometo uma morte bem feita, dessa vez, sem restos e nem luto. prometo que dessa vez vou matar rápido o eu que habita torto em mim, nessa noite de sereno e vento suave. prometo que não vou ficar a raiz que sempre nasce,distorcida, errada, resistente. prometo que meu grito será mais organizado e eu serei, talvez, menos minha. prometo que a necessidade não me fará virar do avesso para me adaptar à certas jogadas. vou apenas morrer o avesso e ser o lado correto. vou morrer o lirismo, divago, chorume. ser um eu menos dissolvido, me concentrar mais em pedra. porque pedras não sangram. e nem sempre o sangue faz viver. e prometo que esse eu vou morrer.

Nenhum comentário: