umapausa

umapausa

sexta-feira, maio 23, 2014

12 de junho de 2005 e ele até hoje me rende algumas risadas

porque vem de você as melhores gargalhadas

estou perto dos seus medos, vivo dentro dos seus sonhos. já sei o que você vai falar e às vezes me canso de ouvir. seu abraço ainda é mágico, seu sorriso me hipnotiza. ainda sou refém do seu doce olhar, de quem não sabe. de quem entende e não traduz. mas sei de você de cor. decorei sua alma. conheço seu futuro. são já tantas conversas. e algumas brigas. poucos escândalos. nunca fomos de expor. mas eu sempre sou culpada. de qualquer desmoronamento. mesmo você sendo a causa, eu sou sempre o estopim. e o perdão vem de uma fonte que já confessamos: infinta. não me canso de desculpar. muito menos de culpar. você martiriza o método. sempre esquece do universo feminino e a eterna insatisfação. e isso é o que erra. você é tão homem. tão seco e prático no seu mundo feliz. tão homem matemático. me falaram que é assim. um casamento é assim. a gente termina a tradução do namoro e tudo fica sabido. algumas coisas novas. mas a maioria é de casa. eu gosto da rotina. acho besta quem espera do amor eterna inovação. nem sei bem como amar, mas deve ter alguma com a segurança. a rotina assegura. a rotina é rara. a rotina cansa. mas cansa mais a distância. eu virei uma antipoeta. odeio tudo sobre amor e sobre você. cadê seu abraço quando eu esqueço de existir? a saudade desmontou. estamos ressecados pelo tempo. a vida fez isso e nunca sei se vamos resistir. mas até lá, vivemos. e vivemos esses noves anos de uma vida impossível de ser mais feliz. e às vezes me perguntam como aguentei tanto de namoro. eu nunca sei o que responder. nunca aguentei. nunca forcei. foi indo. indo. e foi. porque você é o foca. e eu sou a luna. 

8 comentários:

Anônimo disse...

o melhor da sua escrita é q ela é tão sincera e desesperada que sempre tem umas palavras engolidas nos seus textos hehehe
não é uma crítica, apenas uma observação. um beijo

luna disse...

hahahha verdade. vou corrigir depois. depois.
(escrevo e posto desesperada kk)
obrigada pela observação, mas não curto anônimos. :***

O solitário Jim disse...

Sempre interessante!

Francis Espíndola disse...

eu não sei escrever sobre amor. odeio tudo que soe como "eu te amo". é necessário rejeitar o que faz da nossa fragilidade legítima, e então atrair-nos ao perigoso limite novamente, para que a vida não vire apatia. a paixão é detestável.

Singularidade disse...

Quando li "poucos escândalos" me surpreendi, como se isso não fosse "normal" hahaha.

Feliz 9 anos!
:}

Singularidade disse...

Quando li "poucos escândalos" me surpreendi, como se isso não fosse "normal" hahaha.

Feliz 9 anos!
:}

Singularidade disse...

ps:
viu... esse comentário "anônimo" ai não sou eu, apesar de usar "um beijo" também. =P

luna disse...

<3 obrigada a todos por me fazer ser mais louca