umapausa

umapausa

domingo, maio 11, 2014

eu pularia essa parte de ir embora. eu pularia com você. esqueceria os artefatos de uma torpe história de amor e viveria a constância. arrítmica. distímica. assim, se esvaziando aos poucos o nosso. jamais lhe daria um adeus caso fosse de meu controle. jamais lhe poria pra lá se não fosse eu. mas o tempos vieram. estamos secos. caídos e a um passo de ser apenas sopros do vento que leva.
eu pularia essa parte de levarem você de mim. mesmo eu, quem não suporta. teria pra sempre seu sorriso que me confundiu quem sou. pra sempre seu abraço que me amputa a maneira de, realmente, enfrentar. me sinto parte sua tão sua que nem sei. nem sei quem é mais você. e assim vamos. ruindo de mãos dadas para um passo, ou tropeço.
pularia essa parte de ter que ser assim. esses tempos dilatados que não se vivem. nossa vida que hoje nos separa. eu temo viver qualquer desamor quando seu nome está perto. porque pra mim, você é sagrado. um prato cheio de gozo, lágrimas, segredos. nossos suspiros. abraços de nunca vou ir. beijos interrompidos por um desespero sempre monstro de um sexo já gasto. estamos dissolvendo.
sei de onde gosta ser feliz. e você sabe como não me perder nas tristezas que me são impossíveis. somos nós dois. esvaziando pouco a pouco dessa confusão de corpos que nos fincaram. estamos sendo individualizados. e eu preferia pular essa parte. porque o tempo firmou. o tempo ruiu.

 isso distímico, isso vazio, isso chato, te amo. "te amo porque te amo."

2 comentários:

Singularidade disse...

Hoje eu só diria "te amo porque tolero".

luna disse...

parece que fiz algo bom, curti. =)

e só pode "te amo porque te amo".