umapausa

umapausa

sábado, dezembro 13, 2014

pijama de cetim

meu aniversário

porque de manhã, com aquele cheiro de café e a televisão ligada, ouço seus passos com sua chinela de sempre no corredor. seus olhos inchados, de quem honra oito horas de sono há anos. seu rosto sem maquiagem todo melequento de renew, com a sorte de ter poucas rugas. seu cheiro de natura que sempre acho vir do seu pijama de cetim, porque você sempre passa o mesmo hidrante de manhã. gosto desse dia. você chega na cozinha e sorri amarelo ou sou que eu vejo demais através do rosto. me abraça e fala parabéns, minha filha. e me abraça. eu gosto desse dia porque é do seu abraço que vem a sensação de elo. porque assim cai por terra todos os espectros. sou apenas um filhote protegido e não uma pessoa.

meu aniversário. porque nesse dia de mais um ano de vida, eu sou capaz de morrer no seu abraço.

segunda-feira, dezembro 08, 2014

para PolZza: tente viver de verdade e sair ilesa


"ainda bem que existe a dança pra aliviar a alma."
(PolZza)


vivia até meter tudo e ficar roxo
até sair sangue
e deixava escorrer o que sufocava
vivia violentamente feliz
até se ferir de tanto viver

dançou
e dançou
mas dançou

dançou até poder estar pronta pra sofrer de novo

domingo, dezembro 07, 2014



que haja secura, onde a chuva torta não toca os montes 
que haja lodo, onde o sol não toca solo
que haja sangue, onde não se fecunda o óvulo
que haja discórdia, onde se prefere matar diálogo
que haja pranto, onde não há vigília do amor
que haja o que há de haver, que antes doa o que tem que morrer.
mas que sem dor,  haja eu. onde você deixa escapar sem nunca saber. e morrer.







terça-feira, dezembro 02, 2014







como se eu lhe fosse louca, completamente entregue: romance vivo.
sem causa e escrúpulos, sem que para isso, necessário fosse sua existência.
te amo desde o dia que você nunca veio. te amo sem nome. sem pele e rodeios. te amo gratuito. e amor esse que escalda pelos poros. meus.

sobre o amor que sinto, é meu esse protagonismo.